1º – Seguir, na íntegra, as medidas especificadas nos decretos: federal, estadual e municipal, no que diz respeito a medidas a serem implementadas no âmbito do trabalhador e do ambiente laboral, para controle da disseminação do vírus covid-19.

2º – Outras sugestões e/ou recomendações específicas para análise de cada empresa:

a) Avaliar a ação de dispensar controle de ponto ou ordenar horários de início e término de turnos de forma a evitar aglomerações;

b) Eliminar ou intercalar intervalos para lanches e/ou pausas laborais para evitar aglomerações;

c) Instalar dispositivos sanitizantes de corpo inteiro (cabines automáticas de descontaminação ou pulverização) ou para desinfecção de calçados nos acessos da empresa, com o uso de desinfectantes apropriados;

d) Avaliar a necessidade de descontaminação de calçadas de acessos e de circulação interna;

e) Quando possível, instalar barreiras físicas entre os postos de trabalho ou alterar (mesmo que temporariamente) o layout, sem dispensar nenhuma das medidas já aplicadas;

f) Implementar normas de conduta para quando o trabalhador identificar sinais ou sintomas:

I – Se no trabalho – comunicar o responsável tão logo identifique qualquer sinal ou sintoma compatível com covid-19 e este, de imediato, encaminhe o trabalhador à unidade sentinela de referência, para avaliação e conduta.

II – Se em sua residência – comunicar a situação à empresa via meios eletrônicos ou telefônico e procurar imediatamente a unidade sentila de referência, para avaliação e conduta. em seguida, informar à empresa sobre esta.

Observação: criar formas de registro (fotos, protocolos, vídeos e/ou outros) que evidenciem a implementação do conjunto de medidas aplicadas para evitar a disseminação do covid-19 na empresa e manter tudo em arquivos.